Arquivos da categoria: Meditação da Mulher

Meditação da Mulher - Jesus construiu uma ponte - 08/10/2012

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações. Salmo 46:1

Frequentemente admiro a grandiosidade e a força de pontes magníficas. Mas há outras: aquelas que parecem esguias e frágeis demais para suportar seu imenso peso. É então que penso no conhecimento por trás da arquitetura. Não são os construtores que mantêm a estrutura firme: são os projetos criados e desenhados para torná-la possível.

As pontes representam muitas coisas para muitas pessoas. Para o viajante, uma ponte significa atravessar um abismo ou rio, de um lado para o outro. Para o engenheiro, uma ponte é um problema que envolve tensões e estresse. Um artista vê uma ponte como uma expressão do impulso criativo. Também existe mais de um modo de usar uma ponte, pois elas ligam comunidades e nações, encurtam distâncias e incrementam o comércio.

Há três tipos básicos de pontes: a ponte em arco, a ponte treliçada e a ponte pênsil. Os aquedutos são pontes para a água. A ponte levadiça se divide, erguendo-se para permitir a passagem de navios, e volta a encaixar-se para permitir a passagem de carros. Uma ponte para pedestres é chamada passarela ou pinguela. Existem pontes cobertas, pontes de dois cantiléveres, pontes móveis. As pontes são feitas com muitos tipos de materiais: alumínio, madeira, pedra, ferro, liga de aço, concreto reforçado – e até trepadeiras e outros materiais naturais.

O que isso tem que ver com Deus?, você pergunta. As pontes me fazem pensar naquilo que Jesus fez por mim. Com três pregos rústicos e duas peças de madeira, Ele construiu uma ponte para alcançarmos o Céu.

Temos sido culpados de pisotear essa Ponte para fazer coisas que queremos fazer, independentemente do plano que Jesus tem para nós? Meu Jesus não é uma ponte coberta que esconde Sua graça e Seu perdão. Ele não é uma ponte movediça que por algum capricho se muda para outro local, se não estiver satisfeito com o meu jeito de me aproximar dEle. Ele não é feito de material duro e frio. Ele é a luz, força, bondade e tudo o que é perfeito. São os projetos desenhados no Calvário que me possibilitam permanecer íntegra e firme quando as coisas parecem dar errado. É então que entrego tudo ao meu Pai para que Ele o carregue para o outro lado da ponte que construiu para mim.

Vidella McClellan

Meditação da Mulher - Desenvolvimento mental - 07/10/2012

É preciso que o coração e a mente de vocês sejam completamente renovados. Efésios 4:23, NTLH

Houve uma época em que a única paz que eu podia encontrar era quando me assentava e ouvia a Palavra de Deus, e quando estava em comunhão com outros irmãos e irmãs cristãos. A atmosfera de Deus era – e é agora – meu refúgio. Naquela época, minha mente se encontrava sob contínuo ataque. Eu lutava o tempo todo para manter o controle da minha mente, e literalmente andava orando sem cessar. Estava na faixa dos 30 anos e cheguei a uma conclusão sobre o que causava essa batalha na minha vida.

A história começou quando eu tinha 12 anos, e algo extremamente traumático me aconteceu. Na vida, muitas de nós passamos por experiências como agressão, negligência, abandono, medo, tristeza, mágoa ou desapontamentos – mas precisamos ir em frente. Assim, essa dor se manifesta como ira, ódio, depressão e rebelião. No meu caso, a dor emocional era tão severa que comprometeu minha capacidade de aprender.

Foi simplesmente um milagre que Deus, a partir do momento em que aceitei a Cristo, tenha começado a ensinar e curar minha mente. Fui aconselhada por um dos líderes da minha igreja a começar primeiro com pequenas coisas que eu podia superar; a partir daí, eu conseguiria obter forças para as batalhas maiores.

Assim, me abri completamente a Deus e Ele começou a resolver as coisas em minha vida, tomando minhas lutas, uma a uma, e derrotando-as. Todavia, isso aconteceu em meio a grandes batalhas. Eu sentia uma forte dor de cabeça, enquanto lutava em desespero para mudar.

Foi só anos mais tarde que reconheci minha total necessidade de livramento. Então, voltei ao mesmo líder e lhe disse que eu estava preparada. Queria sentir-me livre para servir a Deus. Ele me disse que eu devia jejuar, orar e buscar a Deus por uma semana. Uma semana depois, ele me perguntou se Deus me havia revelado alguma coisa. E, naquele momento, o Espírito Santo me revelou a fonte das minhas batalhas. Eu havia suprimido completamente o incidente. O líder me ungiu com óleo, impôs as mãos sobre mim e orou em nome de Jesus – e minha mente foi curada.

Até hoje, tomo conscienciosamente o cuidado de proteger minha mente. Deus tirou minhas maiores debilidades, uma mente fraca e danificada, e a transformou para o Seu serviço.

Chrisele Green

Meditação da Mulher - Encalhados - 06/10/2012

Eis o mar, imenso e vasto. [...] Nele passam os navios. Salmo 104:25, 26, NVI

Estávamos desfrutando outras férias agradáveis em família, hospedados num apartamento de frente para o mar, na bela Costa do Sol em Queensland. Da sala, podíamos contemplar as águas calmas do canal Pumicestone, até uma ilha de areia e, além dela, o mar aberto. O canal tinha movimento o dia todo, com pequenos barcos pesqueiros e outros de lazer, indo e voltando. Um bando de pelicanos se ocupava em sua rotina diária – sempre de olho em algum pescador que se dispusesse a partilhar o produto de seu trabalho – e além, no cais, grandes navios cargueiros passavam a intervalos regulares. Cerca de duas vezes por dia, um pequeno navio de cruzeiro, cheio de turistas, também passava e fazia uma parada no cais próximo.

Notei que o barco de passeio parecia seguir uma rota muito indireta quando cruzava da extremidade do canal para o cais. Achei que o capitão simplesmente tentava prolongar aquilo que, de outra forma, seria um trajeto curto – até o dia em que o barco chegou a um ponto do outro lado do nosso apartamento e parou de modo abrupto e não programado. Os voluntários da Guarda Costeira lançaram rapidamente à água seus botes infláveis e zarparam para trazer de volta os passageiros encalhados. Mas, pelo resto da tarde, o barco de passeio ficou exatamente no lugar em que se encontrava. De tempos em tempos, o capitão, sem dúvida constrangido, saía para inspecionar o barco, andando soturnamente ao redor dele, com água na altura dos joelhos. Sim, o barco estava firmemente encalhado sobre um banco de areia. As tentativas da Guarda Costeira para removê-lo não tiveram sucesso. Não havia escolha, a não ser aguardar a hora da maré alta.

Soubemos, posteriormente, que as cintilantes águas do canal Pumicestone ocultavam muitos bancos de areia, uma armadilha tanto para marinheiros que desconheciam a região, como para os que tivessem excesso de confiança ou falta de atenção. Esse pequeno episódio também foi um lembrete de como precisamos da guia de Deus ao navegarmos pelas águas da vida. É reconfortante saber que Ele prometeu: “Quando você atravessar as águas, Eu estarei com você; quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão” (Isaías 43:2, NVI).

Muito obrigada, Senhor, por nos manteres na rota e nos resgatares pacientemente, sempre que, de modo insensato, tiramos os olhos de Ti e encalhamos!

Jennifer M. Baldwin

Meditação da Mulher - Caiu a ligação - 05/10/2012

Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam. Isaías 40:31

Recentemente, conversei com uma querida amiga, Helen, minha irmã no ministério, através do celular dela e do meu telefone fixo. Estávamos tendo uma conversa maravilhosa, contando sobre nossos mais recentes empreendimentos e, naturalmente, falando acerca de filhos e netos. Conversávamos e ríamos, felizes, por uns 10 minutos, quando lhe fiz uma pergunta. Não houve resposta. Verifiquei o telefone e vi que não mais estávamos conectadas. Em nossas tentativas de restabelecer a ligação, continuamos sem contato uma com a outra. Cada uma aguardou alguns momentos, e aí uma de nós tentou novamente. Restabelecemos o contato e continuamos a conversa do ponto em que havíamos parado.

Toda vez que você começa o dia sem obter algum poder transmitido através da oração, está sujeita a perder a ligação e o rumo. Todavia, o Senhor é nosso auxílio sempre presente, toda vez que O buscamos. Peço que Ele me ensine a ser paciente e a esperar nEle.

Quanto aos telefones celulares, sabemos que as torres de transmissão ao longo do caminho ajudam a levar nossa voz ao outro telefone. Mas, se você está fora da área – não suficientemente perto de uma torre – pode ocorrer uma interrupção na conexão. Helen e eu perdemos a ligação novamente, mais tarde, mas ficamos felizes porque havíamos passado aqueles momentos conversando.

Às vezes, em nossas viagens pela trajetória cristã, podemos perder a ligação com o supremo Provedor. Continuar a viagem por si mesmo, sem o supremo apoio da transmissão – que está ao seu dispor –, pode ser arriscado. Quando chega a esse ponto, o Senhor, a Seu modo, permite que você refaça a ligação com Ele, através da oração. Quando você achar que perdeu a ligação, pare e peça uma recarga, voltando, assim, a estabelecer o contato.

É uma alegria conversar com o Senhor, contar-Lhe tudo sobre minhas preocupações, embora Ele já saiba. Ele Se importa comigo e me dá temas sobre os quais pensar – inclusive uma lição objetiva sobre telefones celulares. Posso falar com Ele em qualquer momento, em qualquer lugar, pois Ele sempre arranja as coisas que são melhores para mim. A comunicação contínua com Jesus aumenta minha força e fé – e a sua também.

Betty G. Perry